Estudos recentes feito por especialistas para barrar a disseminação do novo coronavírus, mostram que o uso de máscaras de proteção facial, aliado com o isolamento social e a higienização constante das mãos e superfícies fixas, são métodos importantíssimos para frear o contágio do novo coronavírus.

Ademais, o uso e a higienização das máscaras requerem atenção. Lembrando que a única máscara reutilizável é a de tecido, para a reutilização é necessário uma correta higienização com água e desinfetante e após a secagem passar. Alguns especialistas indicam o uso da água sanitária na desinfecção das máscaras, em contra partida dermatologistas alertam os riscos do cloro quando em contato com a nossa pele, “o cloro é uma substancia tóxica que, mesmo em doses baixas pode irritar a nossa pele. Isso porque o cloro é usado para matar fungos e bactérias, e quando em contato com a pele pode causar irritabilidade na pele e ressecamento. Podendo também causar danos as mucosas dos olhos e do nariz.
Crianças e idosos devem redobrar os cuidados, já que, por causa da baixa ação hormonal, tendem a ter a pele mais seca. Também não é recomendado desinfetar as máscaras com álcool líquido 70%, caso a desinfecção seja feita dessa forma o individuo pode sofrer uma intoxicação, irritabilidade ocular, podendo levar a perda do olfato e paladar. Sendo assim o produto indicado é:

G-MED BIGUAN - Desinfetante à base de Quaternário de Amônio 5ª geração.

Modo de usar: diluir 1 parte do produto para 40 partes de água,em seguida coloque a máscara de molho no mínimo durante 10 minutos depois esfregue e enxague à máscara e finalize a higienização passando a máscara com ferro de passar em uma temperatura acima de 30°C (célsius).

Observação: descartar a máscara  sempre que apresentar  deterioração.



Yuri Pires de Oliveira
Jornalista